News
Você está aqui: Capa » ARTIGOS » Sua prioridade era trazer uma palavra que reconciliasse o homem pecador

Sua prioridade era trazer uma palavra que reconciliasse o homem pecador

Obedeça à ordem de Jesus

O último versículo da narrativa do evangelista Mateus é este: “Disse-lhe então Jesus: Olha, não contes isto a ninguém; mas vai, e mostra-te ao sacerdote, e apresenta a oferta que Moisés determinou, para lhes servir de testemunho.” Ele deveria ir ao sacerdote, pois a legislação levítica determinava isso. E Jesus veio para cumprir a lei. Mas qual o motivo de o Senhor Jesus o proibir de divulgar esta boa nova para as pessoas?   Fritz Rienecker responde essa indagação dizendo que Jesus evitou o louvor da multidão, evitou criar uma fé falsa, uma fé que se agarra somente em sinais e milagres, motivo pelo qual não é uma fé verdadeira e autêntica. [1]

A campanha de Jesus na Galileia era evangelística e não uma cruzada de milagres. Jesus estava percorrendo as cidades da Galileia com o propósito de pregar o evangelho. Ele acabara de fugir da multidão de Cafarnaum que o buscava para receber milagres. Jesus não quer ser conhecido apenas como um operador de milagres. Ele veio para buscar o perdido, para remir os homens de seus pecados e não apenas para curar as enfermidades.  Jesus queria ser conhecido como um portador de boas novas e não como um realizador de milagres.[2]

As igrejas estão cheias de pessoas com uma fé falsa. Muitas pessoas estão nas igrejas para depositar a sua fé em Cristo não para a salvação, mas apenas em milagres, em soluções de problemas materiais e financeiros. Jesus ainda cura, Jesus ainda nos dá vitória. Entretanto, nossa fé precisa está depositada em Cristo para a salvação das nossas almas. Portanto, precisamos querer não apenas os milagres de Deus, antes de tudo precisamos querer Deus em nossas vidas.

Encontramos Jesus nas Sagradas Escrituras realizando milagres, mas a sua prioridade nunca foi realizar milagres, sua prioridade era trazer uma palavra que reconciliasse o homem pecador com o Deus Santo. E ele nos reconciliou com Deus, não pelos milagres físicos que fez, mas pelo seu sacrifício na Cruz do calvário.[3]

O evangelista Marcos em sua narrativa nos escreve que o leproso não obedeceu à ordem de Jesus: “Mas, tendo ele saído, entrou a propalar muitas coisas e a divulgar a notícia, a ponto de não mais poder Jesus entrar publicamente em qualquer cidade, mas permanecia fora, em lugares ermos; e de toda parte vinham ter com ele”. Esse homem estava muito alegre por ter recebido o milagre de Deus em sua vida. Ficou tão eufórico que não foi capaz de segurar a boa nova apenas para si e o sacerdote, conforme Jesus o ordenou, mas foi contar as pessoas.

Encontramos muitos querendo e recebendo os milagres de Jesus, mas não o obedecem. Desviam-se pouco tempo após receberem, outros nem se convertem após receberem. Querem apenas milagres e soluções de seus problemas, mas não querem obedecer a Cristo vivendo uma vida de obediência e temor a Deus. Jesus quer realizar o maior milagre de todos em sua vida, o milagre da salvação da sua alma.

O mesmo Jesus que purificou aquele leproso desprezado pela sociedade, ainda purifica vidas hoje. Basta tomamos uma atitude de irmos ter um encontro com Ele. Não apenas pelas suas infinitas bênçãos que serão derramadas em nossas vidas, mas para termos vida eterna em seu nome.

Notas

[1]  RIENECKER, Fritz, Comentário Esperança. Evangelho de Mateus. Editora Esperança. Curitiba, PR 1998: p.83.

[2] LOPES, Hernandes Dias, Marcos. Hagnos. São Paulo, SP 2007: Apude: HENDRIKSEN, William, Marcos, 2003: p.108.

 

Todo o conteúdo é de responsabilidade do autor.

 

[3]   SOARES, Moisés, Encontros com Jesus. Amazon. Matriz de Camaragibe, AL 2017.

Moisés Soares

Moisés Soares

Pregador do Evangelho, escritor, acadêmico de Direito e estagiário do Tribunal de Justiça do Estado de Alagoas.

Compartilhe
Share on FacebookShare on Google+Print this pageEmail this to someoneTweet about this on Twitter

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*